Polícia faz reconstituição de homicídio, em Rio do Sul

0
Foto: Reprodução RBA TV

A Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Rio do Sul, fez a reconstituição do homicídio de Bárbara Faes, que morreu asfixiada na sexta-feira, dia 23. As informações serão juntadas ao inquérito. O marido dela, Ivan Meyer, confessou o crime e está preso temporariamente.

Ele foi preso na tarde domingo, dia 25, após a confissão. O corpo de Bárbara foi encontrado na noite de domingo e enterrado no cemitério da Valada São Paulo, em Rio do Sul, na manhã de segunda (26). O casal tem um filho de 2 anos.

Reconstituição

A reconstituição foi feita ainda na segunda com a colaboração do marido da vítima, segundo a DIC. Ele afirmou que a motivação foi ciúmes. Primeiramente, ele golpeou a cabeça da mulher com um rolo de macarrão até que ela desmaiasse.

Em seguida, amarrou um saco de lixo na cabeça da jovem e depois a colocou no porta-malas do carro. Por fim, jogou em uma ribanceira no bairro Taboão.

O trabalho de reconstituição percorreu todos esses locais, desde o apartamento onde a vítima foi golpeada na cabeça, segundo a DIC. O procedimento durou cerca de duas horas e teve participação também do Instituto Geral de Perícias.

Prisão temporária

Na segunda, o marido, que estava preso na delegacia, foi levado ao Presídio Regional de Rio do Sul. A prisão temporária vale por 30 dias, prazo em que a DIC quer concluir o inquérito.

A Polícia Civil aguarda ainda laudos do IGP sobre o local do crime, a própria reconstituição e o cadavérico.

Desaparecimento da vítima

Após o homicídio, o marido disse à família da jovem que ela havia saído sozinha para caminhar e desaparecido. Os parentes da vítima e a polícia procuravam por ela desde a noite de sexta.

Segundo familiares, o marido começou uma campanha pelas redes sociais com pedidos de ajuda para encontrá-la.

G1 SC

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.