Polícia Civil de SC triplica apreensões de drogas em 2017

0

A Polícia Civil por meio da Divisão Especializada de Combate ao Narcotráfico, da Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Denarc/Deic), divulgou os resultados obtidos no ano de 2017. Contando com o apoio e suporte da delegacia-geral da Polícia Civil, nos últimos três anos, a Denarc/Deic foi reestruturada, visando atingir a macrocriminalidade voltada a narcotraficância em Santa Catarina. Desta forma, a especializada passou a ser dotada de policiais civis com a expertise e competências necessárias para a realização de investigações de alta complexidade.

Além disso, foram estreitadas as relações e parcerias com as unidades da Deic, unidades policiais civis da ponta, Diretoria de Inteligência da Polícia Civil (DIPC), Diretoria de Informações e Inteligência (DINI), DIC’s, bem como com as instituições Receita Federal do Brasil, PRF, Ministério Público, PM, dentre outras, agregando-se assim, diferentes competências e experiências, o que resultou no aprofundamento das investigações e o alcance do nicho de criminalidade com repercussão no território catarinense e outros estados da federação.

De acordo com o levantamento, no ano de 2017 a Denarc/Deic apreendeu três vezes mais drogas comparando com o ano de 2016 e ainda, realizou significativo número de prisões e lavratura de procedimentos investigatórios policiais.
No ano de 2017, foram registradas as maiores apreensões de drogas em território catarinense, num total de 16 toneladas de maconha, resultando na prisão de cinco pessoas, em operações realizadas pela equipe da Denarc/Deic em parceria com a DFRV/Deic, DIC de São Lourenço do Oeste, PRF e Receita Federal do Brasil, ocorridas nos meses de maio, junho e julho de 2017, nas cidades de Garuva, Porto Belo e Ponte Alta. Com o aprofundamento das investigações, a Divisão Especializada de Combate ao Narcotráfico, em 17 de outubro de 2017, desarticulou a organização criminosa responsável pelo envio dos carregamentos mencionados para Santa Catarina ao realizar a prisão de quatro pessoas.

Entre os trabalhos investigativos realizados, alguns já foram julgados pelo Poder Judiciário no ano de 2017, sendo 15 pessoas condenadas a penas que ultrapassam 145 anos de prisão, o que representa o trabalho de repressão qualificada que vem sendo empregado pela equipe da Denarc/Deic. A título de exemplo, citamos a ocorrência em que a Polícia Civil, por meio da Denarc/Deic e DIC São Lourenço do Oeste, Polícia Rodoviária Federal e Receita Federal do Brasil, no final da tarde de sábado do dia 29 de julho de 2017, na divisa dos Estados do Parará e Santa Catarina, abordaram dois caminhões vindos do estado do Mato Grosso do Sul. Após averiguação das cargas de milho que estavam sendo transportadas, foram localizadas 1,173 toneladas de maconha e 740 gramas de Skunk (derivado de maconha), avaliadas em R$ 3 milhões. Na ocasião, três indivíduos foram presos em flagrante e conduzidos até a Delegacia de Polícia Civil de São Lourenço do Oeste para autuação, tendo o Poder Judiciário, por meio da Vara Única da Comarca de São Lourenço do Oeste, no último dia 4 de dezembro de 2017, condenou três homens a mais de 43 anos de prisão;

De acordo com titular da Denarc/Deic, Pedro Henrique de Paula e Silva Mendes, os resultados históricos foram alcançados graças à competência e dedicação dos policiais civis que integram a especializada e às parcerias com as unidades policiais civis e demais instituições, especialmente com as Divisões de Investigação Criminal (DIC), Receita Federal do Brasil e Polícia Rodoviária Federal.

O diretor da Diretoria Estadual de Investigações Criminais da Polícia Civil, Adriano Krul Bini, parabeniza todos os envolvidos, destacando os membros do Ministério Público e Poder Judiciário, assessoria e servidores dos órgãos que atuam nos processos resultantes das investigações citadas, bem como aos promotores de Justiça Flávio Duarte de Souza e Marcio André Zattar Cota, titulares das 7ª e 4ª Promotorias de Justiça das Comarcas de Blumenau e Jaragua do Sul respectivamente e as magistradas Jussara Schittler dos Santos Wandscheer e Anna Finke Suszek, titulares das 3ª e 1ª Varas Criminais das Comarcas de Blumenau e Jaragua do Sul respectivamente, e todas as equipes de servidores pela parceria com Denarc/Deic, dedicação e extremo comprometimento no combate ao tráfico de drogas em prol da sociedade catarinense.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.